sábado, 11 de junho de 2016

AH, O AMOR...ESSE VELHO CONHECIDO...

Amor puro, amor total, amor que derruba e depois reergue, amor que deixa o sorriso no rosto, que faz do coração um suspiro. 
Amor de namorado? Também. Mas amor é mais que isso, não tem definição, não precisa ser verbalizado, carece de poesia, dispensa postagens, fica aquecendo o peito e garantindo felicidade duradoura.
Não precisa de palavras. Dispensa a expressão máxima da linguagem humana: a palavra. Se no princípio do mundo era o Verbo, o Amor se antecedeu. 
Já dizia Nelson Rodrigues: "Pouco amor não é amor!"
Verdade absoluta. Ou se ama, ou não é amor.
Porque o amor surpreende, e quando a gente pensa que aprendeu tudo sobre ele, ei-lo que surge em nossa porta e estampa em nós o sorriso mais delicioso do mundo. 
Porque ao amarmos e sermos amados, estabelecemos um caminho de luz chamado compreensão, carinho e felicidade verdadeira.
E por vermos que o Amor também pode ser compreendido na sala de aula e no dia a dia de uma escola, aprendemos que o Amor tem uma longa história, mas que se define mais claramente pra nós a partir da obra de um poeta inglês do Renascimento, chamado William Shakespeare.
"Romeu e Julieta" é a máxima expressão do amor, porque verbaliza o que não pode ser verbalizado, com um texto genial e inigualável.
E, neste último bimestre, ao discutir com meus alunos sobre o amor a partir do Renascimento, vivenciamos a atualidade de Shakespeare: ainda se ama pensando na eternidade, o amor é sinônimo de felicidade, ainda sofremos de ciúmes ou falta de amor ( a "sofrência", como dizem os alunos), e ainda suspiramos e nos renovamos em cada gesto de amor.
Não é somente Shakespeare que continua atual, mais de 4 séculos depois: é o Amor que segue como a base da nossa existência.
Para os apaixonados pela vida, para os que amam, dedico este post. E para os que também amam, além de tudo, seu trabalho, sua escola e seus alunos, e veem o aprendizado como uma expressão de amor, fica aqui também minha homenagem.
Porque amar vai além de ter um dia. Amar pede cada segundinho nosso, e que delícia é isso, e nos deixa com um calor no coração e a certeza de que somos eternos. Amar está muito além de qualquer calendário. 
Shakespeare nos ensinou isso, e nos fez amar como nunca antes. Porque ele verbalizou aquilo que já sentíamos.
Só quem ama sabe da sua eternidade. Sabe que é eterno. Quem nunca percebeu que sua existência está além do nascimento e da morte, nunca amou. O Amor nos faz ver como somos grandes e duradouros. O Amor nos dá coragem, porque em nossos corações encontramos a mais pura verdade, que é esta: a vida, minha gente, nunca morre, ela segue. E o Amor nos dá a compreensão da eternidade. Quem conhece o Amor sabe que nem a morte nos separa. 
A vida é muito amorosa. Aos que amam, deixo aqui o meu amor. Que todos os dias sejam dos enamorados, mesmo que os namorados só tenham o dia 12. 
Além de cobertores nestes dias congelantes, desejo a todos muito amor e carinho pra aquecermos intensamente nossa vida.
E deixo também um coração cheio de amor pros meus alunos.
Já escreveu Carlos Drummond de Andrade: "amar se aprende amando". Pois é. Chega de falar e vamos suspirar. Que o coração agradece.
Mas, me digam, pra vocês, o que é o Amor?

Prô Adriana


2 comentários:

Agradecemos sua participação!